Ratatouille com macarrão

» Postado em Salgados / quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Depois dessa viagem cheia de comilanças que vocês viram nos posts anteriores, precisei seguir uma semana mais levinha.

Adoro ratatouille, tanto pelo sabor quanto pela versatilidade: você pode comer puro ou como acompanhamento, quente ou frio, ou acrescentando em um macarrão, como eu fiz nesse caso.

As quantidades que eu coloco na receita dos ingredientes do ratatouille (para duas pessoas) caem certinho na quantidade de macarrão. Mas se você quiser pode fazer, como eu fiz, o dobro da receita e guardar o ratatouille para comer de outras maneiras (lembra da versatilidade?).

Achei que deu bem certo!

SONY DSC

SONY DSC

Ratatouille com macarrão
SONY DSC
  • » Ingredientes:

  • 1 berinjela
  • 1 abobrinha
  • ½ pimentão vermelho
  • ½ pimentão amarelo
  • 1 colher (chá) de sal
  • ½ cebola em cubinhos
  • 1 dente de alho amassado
  • 3 tomates maduros sem pele e sem semente em cubos
  • ½ xícara de azeite
  • 150 gramas de macarrão integral (usei fusili ou parafuso)
  • 250 gramas de queijo cottage
  • sal e ervas a gosto para temperar o cottage (usei alecrim e tomilho)

  • » Modo de Preparo:

  • Fatia as abobrinhas e berinjelas bem fino (usei um mandolim).
  • Coloque as fatias em uma tigela, jogue a colher de chá de sal por cima, misture bem e deixe descansar por 30 minutos.
  • Enquanto isso tire as sementes e partes brancas dos pimentões e corte-os em tirinhas finas.
  • Após o descanso, escorra a água que formar na berinjela e abobrinha e seque bem cada fatia.
  • Pré aqueça o forno a 200 graus.
  • Aqueça uma frigideira bem quente, com um fio de azeite, e grelhe as fatias de abobrinha e berinjela (não coloque muitas por vez, faça sempre, uma única camada). Reserve.
  • Na mesma frigideira, refogue rapidamente o alho e a cebola, e acrescente os tomates. Cozinhe em fogo baixo até que o tomate comece a desmanchar.
  • Em um refratário que possa ir ao forno, espalhe o tomate no fundo e coloque bem misturado as berinjelas, abobrinhas e pimentões. Regue com o azeite e leve ao forno a 200 graus por 20 minutos.
  • Enquanto isso, coloque água para ferver e cozinhe o macarrão conforme as instruções da embalagem.
  • Enquanto o macarrão cozinha tempere bem o cottage com sal e ervas (não economize no tempero, pois o cottage é bem leve).
  • Escorra o macarrão e na mesma panela que usou para cozinhá-lo coloque o cottage e leve no fogo médio. Quando ele começar a borbulhar misture o ratatouille e por último o macarrão.

Hummm... outras delícias:


Restaurantes na viagem

» Postado em Por aí... / terça-feira, 18 de novembro de 2014

Este post é um daqueles que é bom você reler quando estiver pensando em ir para algum desses lugares.

Indico aqui pra vocês os restaurantes que mais gostei na viagem:

#NICE:

* Chez Juliette:

Não sei se é porque foi o primeiro bistrô bem francesinho da viagem, mas adoramos este restaurante. No coração do centrinho histórico de Nice, tinha um atendimento bem familiar e todos os pratos estavam deliciosos.

A entrada que escolhemos era uma trouxinha de massa folhada recheada de queijo brie memorável!

a decoração tinha toda antiguinha

a decoração era toda antiguinha

essa entrada de brie era tudo de bom

essa entrada de brie era tudo de bom

1 Rue Rossetti, 06300 Nice, França +33 4 93 92 68 47

#Alba:

* Osteria dell’Arco:

Na terra da trufa, este restaurante é imperdível.

Ambiente delicioso e comida nem se fala, carta de vinhos que deixou o maridão de queixo caído.

nhoque com trufa negra

nhoque com trufa negra

massa com trufa branca...

massa com trufa branca…

... e um belo barolo

… e um belo barolo

Piazza Navona, 5 Alba  tel 0173 363974 info@osteriadellarco.it

#Turin

*Manzò

Este lugar na verdade é um açougue, super charmoso e moderninho.

No andar de cima, eles tem um salão que é uma graça.

Funciona assim: você escolhe a carne que vai comer (o peso é por Kg) e sobe enquanto eles preparam. Além de linguiças deliciosas, comemos uma bisteca fiorentina pra carnívoro nenhum botar defeito!

este painel explicava o serviço de açougue...

este painel explicava o serviço de açougue…

...este explicava o serviço de restaurante...

…este explicava o serviço de restaurante…

... e este os cortes de carne

… e este os cortes de carne

tábua de queijos delícia

tábua de queijos delícia

a estrela da nite: bisseta fiorentina sobre uma placa de sal

a estrela da noite: bisseta fiorentina sobre uma placa de sal

estamos na Itália, né? então... panacota INCRÍVEL

estamos na Itália, né? então… panacota INCRÍVEL

Via Antonio Gramsci 1 Turim +39 011 020 8230

#Colmar

*L’Auberge, brasserie

No hotel que ficamos hospedados em Colmar tinham dois restaurantes muito bem cotados.

Um deles, era menu degustação, mais caro, então não provamos.

O outro, era a la carte normal. Provamos e aprovamos. Era uma mistura da cozinha alsaciana (praticamente comida alemã) com cozinha francesa.

este peixe parecia uma truta, muito bom!

este peixe parecia uma truta, muito bom!

7 Place de la Gare, 68000 Colmar, França +33 3 89 23 17 57

#Paris

*La Maison du Jardin:

Achei que ia embora de Paris sem ter nenhum restaurante para indicar, mas no último jantar da viagem isso mudou!

É um restaurante de menu fixo, poucas opções de entrada, prato principal e sobremesa para escolher no dia.

O prato principal que nós escolhemos, me da saudade só de pensar. Era um pato cozido bem lentamente (cerca de 7 horas de forno), que vinha para a mesa desmanchando dento de uma massa folhada fininha e crocante acompanhada de figo assado no vinho (babei!).

to chorando só de lembrar desse pato

to chorando só de lembrar desse pato

IMG_4099

 27 Rue de Vaugirard, 75006 Paris, França +33 1 45 48 22 31

Hummm... outras delícias:


Roteiro de férias – França, Itália e um jantar na Suíça

» Postado em Por aí... / sábado, 15 de novembro de 2014

Quem me segue no insta (@panelasepaetes), sabe que andei de férias.

Eu e meu marido sempre pensamos em comida e vinhos quando estamos pensando o roteiro das nossas viagens.

Em outras viagens não fiz um post somente sobre o roteiro, apenas dei as dicas do que achei de mais bacana na viagem (Napa Valley, Mendoza, Toscana, Colômbia).

Mas, dessa vez, bastante gente me mandou mensagens pelo insta perguntando sobre o roteiro… e como ele é um pouco diferente mas BEM bacana, achei que valia a pena contar aqui. Captura de Tela 2014-11-15 às 12.00.24

Este mapa mostra as cidades que nos hospedamos… mas algumas delas, serviram de base pra visitarmos cidades menores nas redondezas.

Sempre prefiro fazer isso do que ficar pingando e dormindo uma noite em cada lugar, porque acho muito cansativa a rotina de “faz mala – faz check out – procura hotel – faz check in”

* Cote d’azur

SOBRE: A costa Azul, também conhecida como Riviera Francesa é bem famosa pelas praias e os badalos de celebridades e gente rica. Compreende Nice, Cannes, Saint-Tropez, Saint Raphael e Montecarlo

O QUE EU ACHEI: A Riviera Francesa, por motivos óbvios, bomba no verão. Fui no outono, o que resultou em eu não encontrar aquele badalo característico do local. Então o que eu vi foram cidadezinhas lindas, super bem organizadas, com praias que realmente justificavam o nome azul da costa.

Nice e Cannes tem características bem parecidas: uma orla glamurosa (um pouco mais em Cannes), e um centrinho histórico animado (um pouco mais em Nice). Apesar de não estar calor tinha sol, então tinham gringos tomando banho de mar, mas nós não tivemos a mesma coragem.

As praias, em geral, tem pedras no lugar de areia, o que dá um visual bem bonito e diferente do que estamos acostumados.

Nice <3

Nice <3

Já Montecarlo (que fica no principado de Mônaco), é bem diferente das duas, a não ser pelo mesmo mar azul. Lá, você fica cercado de castelos, palácios e cassinos que te fazem lembrar a todo momento que você está em um principado. Achei que valeu a visita.

me sentindo princesa (#sqn) em Montecarlo

me sentindo princesa (#sqn) em Montecarlo

* Piemonte

SOBRE: Ao norte da Itália, fazendo divisa com a França fica a região do Piemonte. Além de ser a região mais desenvolvida da Itália é a região dos famosos e premiados vinhos Barolo e das cobiçadas trufas brancas.

O QUE EU ACHEI: Com certeza esta foi a parte mais enogastronomica da viagem. Primeiro ficamos em Alba, que é a terra da trufa branca (e estávamos em época do festival das trufas), então, pra quem como eu, adora essa iguaria, era só alegria! trufa branca no almoço e no jantar.

Praticamente colado em Alba fica a cidade de Barolo, que mais parece um vilarejo de tão pequenininha e charmosa. Visitamos vinícolas de produção maior e também uma vinícola familiar, com vinhos deliciosos.

quem conhece meu marido imagina a alegria dele nesse lugar!

quem conhece meu marido imagina a alegria dele nesse lugar!

trufas brancas

trufas brancas

trufas e mais trufas <3

trufas e mais trufas <3

Nossa última parada em Piemonte foi  Turim, capital da região. Achei que poderia ter ficado mais dias em Turin do que eu fiquei… pra aproveitar melhor o que essa grande cidade tem a oferecer. Além de museus bacanas e uma preservação incrível do centro antigo encontramos por lá restaurantes deliciosos e animados, mais com cara de cidade maior mesmo.

* Suíça só por um founde

Aqui não vou fazer uma explanação sobre a Suíça, certo?

Já conhecíamos algumas cidades do país, onde comemos o melhor founde de queijo da vida…. Já que estávamos tão perto, resolvemos dormir por lá uma noite para repetir a dose. Escolhemos uma cidade que ainda não conhecíamos, e nos jogamos no founde. Que delícia!

valeu cada km a mais

valeu cada km a mais

Além disso, a cidade, que era Fribourg era incrível.

* Alsacia – Lorena

SOBRE: Ao leste da França fica essa região de povo germânico. Lembrava vagamente de batalhas de Alsacia das aulas de história, mas revendo um pouquinho você verá que essa região foi tomada pela Alemanha e devolvida para a França algumas vezes.

Além disso é uma região produtora de vinhos brancos bem tradicional da França.

O QUE EU ACHEI: Sem dúvida, esta foi a região que mais me surpreendeu positivamente na viagem. Pelo que percebemos, não se trata de um destino muito comum entre brasileiros que fazem turismo na França, mas deveria ser, porque realmente é muito legal!

Primeiro porque a gente se sente um pouquinho na Alemanha (graças a seu povo Germânico – chucrute e salsichão por toda parte), segundo porque tem cervejas incríveis e vinhos brancos deliciosos, e terceiro porque são milhares de cidadezinhas minúsculas, uma colada na outra, tão bem preservada que você se sente na idade média.

Fiquei hospedada em Colmar que é a capital dos vinhos da Alsácia, e visitamos Ribeauvilvle, Eguisheim, Riquemihr e Strasbourg. Tirando Strasbourg (que é a verdadeira capital da região), todas são cidades minúsculas, medievais e charmosíssimas. IMG_3370

Em Estrasburgo visitei a catedral gótica mais linda que já vi na minha vida (sim, mais bonita que a Notre Dame de Paris e que o Duomo de Milão), algo chocante!

a chocante catedral de Strasbourg

a chocante catedral de Strasbourg

*Champagne

SOBRE: A região da França onde os espumantes mais famosos do mundo são produzidos.

O champanhe é produzido nesta região cuja capital é Epernay. Foi lá que o monge Dom Pergignon se esforçou muito para domar os vinhos que fermentavam novamente nas garrafas, fazendo-as explodir.

O QUE EU ACHEI: Achei incrível! Quem já fez algumas viagens de vinhos, como eu, sabe que as visitas são todas meio iguais, tanto que a certa altura a gente quer ir as vinícolas apenas para degustar e comprar os vinhos, e não para fazer o tour. Mas, eu te garanto, mesmo que você já tenha feito muitas visitas a vinícolas, faça o tour nas cavas de champagne. Vale muito a pena. A gente descobre que existe um mundo subterrâneo, onde ficam as bebidas, a uma baixa temperatura natural (vá agasalhado), é incrível. Visitei a pommery e a veuve clicquot e realmente recomendo! IMG_3517

* Paris

SOBRE: dispensa, né?

O QUE EU ACHEI: O cenário perfeito para terminar essa viagem incrível!

clássicos são clássicos <3

clássicos são clássicos <3

 

Gostaria de dar um depoimento, que não é propaganda, sobre a agência de viagens que venho utilizando desde que vim morar em Sorocaba.

Sempre preferi fazer viagens sem agência, porque achava que elas acabavam dando uma engessada no roteiro. Quando conheci o pessoal da Home Travel, descobri uma agência super flexível.

Continuamos pesquisando e criando nosso roteiro com a nossa cara, mas conseguimos contar com a assistência e a segurança deste pessoal super profissional e com serviços bem diferenciados. Fica a dica!

 

Hummm... outras delícias:


Dica de livro – o cinema vai à mesa

» Postado em Por aí... / quinta-feira, 06 de novembro de 2014

Sabe quando  a gente assiste a um filme e fica morrendo de vontade de entrar na t.v. (ou na tela do cinema) para comer as delícias que aparecem?

Pois é, tenho um livro de receitas, muito bom, que ganhei da minha mãe e do meu irmão que une as duas artes (cinema e culinária).

Ele seleciona filmes clássicos com boas receitas e traz uma sinopse sobre o filme e as receitas a seguir.

Vale super a pena.

Livro: “O cinema vai à mesa”

e a capa ainda é linda :)

e a capa ainda é linda :)

escolhi essa página porque adoro esse filme <3

escolhi essa página porque adoro esse filme <3

SONY DSC

Hummm... outras delícias:


Caponata de Berinjela

» Postado em Salgados / terça-feira, 04 de novembro de 2014

Poucas receitas são tão versáteis quanto a caponata.

Você pode comer quente ou fria. Acompanhando torrada como se fosse um patê, ou no prato como se fosse uma salada. É possível colocar ou tirar ingredientes de acordo com disponibilidade ou preferências sem prejudicar o resultado.

Além de tudo isso, é muito fácil de fazer e deixa um cheirinho delicioso na cozinha. caponata de berninjela

Caponata de Berinjela
caponata de berninjela
  • » Ingredientes:

  • 1 berinjela
  • 1/2 pimentão amarelo
  • 1/2 pimentão vermelho
  • 100 gramas de azeitonas verdes sem caroço
  • 1 colher (sopa) de uvas passas
  • 1 colher (sopa) de castanhas variadas (eu usei nozes, amêndoas, castanha do pará e castanho de cajú)
  • 150 ml de azeite virgem
  • sal a gosto.

  • » Modo de Preparo:

  • Pique a berinjela e os pimentões em cubos.
  • Fatie as azeitonas sem caroço.
  • Pique grosseiramente as castanhas.
  • Misture bem todos os ingredientes e regue com todo o azeite.
  • Leve ao forno baixo (160 graus) coberto com papel alumínio por cerca de 40 minutos. Depois, tire o papel alumínio e deixe no forno por mais cerca de 50 minutos, mexendo de vez em quando.

Hummm... outras delícias:


Bolo de cenoura com cobertura de chocolate

» Postado em Doces / domingo, 02 de novembro de 2014

Nada mais clássico que este bolo, não é?

Mesmo assim, para mim, ele não tem sabor de infância. Tem sabor de juventude!

Quem fazia, na minha vida, a melhor receito deste bolo (que é a que reproduzo aqui), era minha colega de apartamento na faculdade.

Sabe o que é você chegar de uma festa de faculdade, desesperada por alguma coisa doce e ter esse bolo em casa te esperando?!? <3 <3 <3

A cobertura é daquela que endurece e fica meio açucarada, o bolo em si fica bem maciozinho e perfumado.

você pode jogar a cobertura e deixar assim mais rústico ou cobrir certinho... Mas tem que ser rápido, pois ela endurece quando esfria

você pode jogar a cobertura e deixar assim mais rústico ou cobrir certinho… Mas tem que ser rápido, pois ela endurece quando esfria

Bolo de cenoura com cobertura de chocolate
  • » Ingredientes:

  • BOLO:
  • 3 cenouras cruas raladas
  • 4 ovos
  • 1 xícara (chá) de óleo
  • 3 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 2 xícaras (chá) de açúcar
  • 1 colher (sopa) de fermento
  • COBERTURA:
  • 3 colheres (sopa) de chocolate em pó
  • 3 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 2 colheres (sopa) de água

  • » Modo de Preparo:

  • Unte e enfarinhe uma forma.
  • Ligue o forno para pré-aquecer a 180 graus (médio).
  • Bata no liquidificador as cenouras, os ovos e o óleo.
  • Em uma tigela misture a farinha e o açúcar.
  • Despeje o creme que foi batido no liquidificador na tigela da farinha e açúcar e misture bem.
  • Adicione o fermento.
  • Coloque na forma untada e leve ao forno pré-aquecido (180 graus - médio) para assar por cerca de 50 minutos (ou até que o palito saia seco)
  • Para a cobertura, leve todos ingredientes ao fogo em uma panela até derreter e engrossar (+ ou - 6 minutos).
  • Despeje no bolo ainda quente.

Hummm... outras delícias:


Tortilla de batata com calabresa

» Postado em Salgados / sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Quem nunca comeu uma tortilla e pensou “ah! é só um omeletão” ?

Mas vai você tentar fazer um omelete e deixar igual a uma tortilla… não fica! simplesmente pelo fato que a tortilla tem uma base de batatas.

No começo do ano, fui pra Argentina e trouxe o livro de receitas da Doña Petrona, que é tipo uma Ofélia dos hermanos. Lá, ela explica a importância da batata ser fatiada bem fininha, pois vai cozinhar só na frigideira e não pode ficar crua e dura.

Acrescentei a calabresa, mas você pode acrescentar mil outras coisas como aspargos ou presunto.

Deu super certo! Funciona bem como uma entrada de sustância ou como uma refeição leve, com uma saladinha para acompanhar.

Para virar a tortilla eu usei um prato: retirei e voltei para a frigideira. Se você tiver duas frigideiras do mesmo tamanho fica ainda mais fácil, coloque um pouco de azeite e aqueça a frigideira vazia e vire direto de uma para a outra.

depois de virar...

depois de virar…

IMG_5230

Tortilla de Batata e Calabreza
depois de virar...
  • » Ingredientes:

  • 5 batatas pequenas ou 6 médias
  • 1 calabresa defumada
  • 7 ovos
  • sal, pimenta e noz moscada a gosto
  • azeite virgem

  • » Modo de Preparo:

  • Descasque as batatas e fatie bem fininho (eu usei um mandolim).
  • Retire aquela casca da calabresa e pique em cubinhos.
  • Aqueça o azeite em uma frigideira anti-aderente, disponha as fatias de batata, tempere com sal e mantenha em fogo médio, mexendo de vez em quando até as batas ficarem macias (cerca de 4 minutos).
  • Disponha os cubinhos de calabresa sobre as batatas, e mantenha por mais alguns minutos em fogo médio.
  • Em uma tigela bata os ovos com sal, pimenta e noz moscada.
  • Despeje os ovos batidos na frigideira, e aguarde até perceber que as laterais estão ficando douradas (sempre em fogo médio).
  • Vire para dourar do outro lado.

Hummm... outras delícias:


Bolo Peteleco

» Postado em Doces / quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Quando eu era criança e minha mãe perguntava que bolo eu queria, minha resposta de cara era “de chocolate com cobertura de chocolate!”.

Aí a gente cresce e passa a apreciar sabores mais complexos, menos doces. Mas quando eu como um belo “bolo de chocolate com cobertura de chocolate” tenho exatamente aquela mesma sensação que aquela criança pedia sem titubear.

Mexendo nos caderninhos da minha avó encontrei esta receita com nome de “bolo peteleco”, eu realmente não sei porque ele tem esse nome, mas quando sai do forno, o cheirinho adocicado me dá um abraço bem gostoso.

É bem o bolo de chocolate que minha avó fazia mesmo. Uma das coisas mais maravilhosas da cozinha é poder atravessar o tempo e repetir um sentimento ou se conectar com alguém que não está mais aqui.

foto 2-11

Bolo Peteleco
foto 2-11
  • » Ingredientes:

  • PARA O BOLO:
  • 3 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 2 xícaras (chá) de açúcar
  • 1 xícara (chá) de chocolate em pó
  • 2 ovos
  • 1 xícara (chá) de óleo
  • 1 pitada de sal
  • 2 colheres (chá) de fermento
  • 2 xícaras (chá) de água bem quente com 2 colheres (chá) de bicarbonato diluído
  • PARA A COBERTURA:
  • 200 gramas de chocolate meio-amargo picado
  • 1 litro de creme de leite

  • » Modo de Preparo:

  • Comece pelo bolo.
  • Pré aqueça o forno a 180 graus.
  • Unte uma forma com manteiga e farinha ou cacau em pó.
  • Em uma tigela misture bem a farinha, o açúcar e o chocolate em pó.
  • Coloque os ovos, o óleo, o sal e a água, misture bem.
  • Por último coloque o fermento e termine de bater.
  • Coloque a mistura na forma untada e leve ao forno (pré aquecido, 180 graus) por cerca de 40 minutos.
  • Para a cobertura derreta o chocolate em banho-maria e acrescente o creme de leite.
  • Despeje sobre o bolo ainda quente.

Hummm... outras delícias:


“Puertas Cerradas”, a melhor dica de Mendoza!

» Postado em Por aí... / segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Quando estava publicando as dicas sobre a viagem que eu fiz para Mendoza em maio, tive aquele problema do blog ficar um tempo fora do ar (alguém notou? rs). Agora, revendo estes posts, descobri que acabei não dando a MELHOR dica que eu tinha para dar dessa trip.

Descobrimos, assim que chegamos na Argentina, que por lá está rolando uma tendência de restaurantes de “puertas cerradas”. Se trata de moradores locais que abrem suas casas para fazer um jantar para poucas pessoas. Este tipo de restaurante, por motivos óbvios, só funciona com reservas, aceita poucas pessoas por noite e tem cardápio fechado.

Tive a oportunidade de visitar dois, a experiência foi maravilhosa e eu super recomendo ambos.

*LodeFer:

Foi o primeiro “puertas cerradas” da viagem. Em um bairro completamente residencial você fica bem em dúvida na hora que chega se está ou não no lugar certo. Mas logo que toca a campainha e vem a anfitriã mega simpática e falante, te recebendo na casa dela, qualquer dúvida acaba!

Na noite que fomos estávamos eu e meu marido, e tinha outra mesa com um casal de argentinos que vinha de Córdoba. Durante toda a noite nossa anfitriã se esforçou para nos entrosar com o outro casal, e deu tão certo que no fim da noite nem pegamos taxi, fomos embora de carona com eles, como bons amigos! :)

A comida, feita pelo chefe Fernando (marido de Gladys, a anfitriã) estava divina e absolutamente bem servida.

petiscos deliciosos

petiscos deliciosos

esta entrada era realmente especial, saladinha e queijo a milanesa

esta entrada era realmente especial, saladinha, queijo a milanesa e batata rosti

o prato principal era a CARBONADA que é um prato típico argentino que eu não conhecia

o prato principal era a CARBONADA que é um prato típico argentino que eu não conhecia

esta sobremesa da água na boca só de lembrar...

esta sobremesa da água na boca só de lembrar…

 

*Ituzaingo:

Quando pedimos para a concierge do hotel fazer uma reserva neste restaurante, ela nos informou que em algumas ocasiões eles aceitavam que as pessoas fossem mais cedo, e davam uma aula de culinária, antes do jantar. Meus olhos brilharam, e depois de bastante insistência conseguimos marcar a aula e o jantar (atenção, se você for pra lá e pretender fazer isso – QUE VALE MUUUITO A PENA – já reserve daqui do Brasil)

Quando você chega, a rua (que tem o mesmo nome do restaurante) e a fachada da casa são um tanto quanto sinistras, o que só da mais charme ao local.

Gonzalo, nosso anfitrião, parece um amigo, feliz que você está na casa dele. Nosso horário era 18h00, já que cozinharíamos antes de jantar.

Antes mesmo de sermos apresentados ao chef Santi, nosso professor, já recebemos uma bela taça de vinho.

Aprendemos sobre a parilla, os cortes de carne, fizemos pão, fizemos empanadas (e tomaaaaando vinho!).

Depois eles nos sentaram a frente da lareira com vinho e queijos. A melhor provoleta que ja comi na vida.

Ainda por cima jantamos, e tivemos uma sobremesa maravilhosa!

Foram cerca de 4 horas no local, 3 garrafas de vinho e uma experiência INESQUECÍVEL.

euzinha, pronta para por a mão na massa, e de dente roxo <3

euzinha, pronta para por a mão na massa, e de dente roxo <3

nosso projeto de pão indo para o forno

nosso projeto de pão indo para o forno

nossos pãezinhos acompanhando a melhor provoleta da vida

nossos pãezinhos acompanhando a melhor provoleta da vida

Veja que algumas das minhas empanadas queimaram, mas garanto a vocês,  o segredo está no recheio - e ficou demais!

Veja que algumas das minhas empanadas queimaram, mas garanto a vocês, o segredo está no recheio – e ficou demais!

o charme da lareira de Gonzalo, nosso anfitrião

o charme da lareira de Gonzalo, nosso anfitrião

A maravilhosa sobremesa feita pelo nosso professor, o chef Santi

A maravilhosa sobremesa feita pelo nosso professor, o chef Santi

e no final, um brinde, a esse maravilhoso jantar!

e no final, um brinde, a esse maravilhoso jantar!

 

Hummm... outras delícias:


Dia do macarrão – mac’n cheese com bacon

» Postado em Salgados / sábado, 25 de outubro de 2014

Hoje, dia 25 de outubro, comemora-se o dia internacional do macarrão.

Resolvi trazer uma receitinha bem fácil, e rápida.

O mac’n cheese, mais comido nos states do que aqui é considerado a comida internacional da fossa. Mas, na verdade, a gente não precisa estar deprê pra comer um carboidratozinho desse que nos dá um abraço de tão confortante.

Como você vê na foto eu fiz em uma tigela só, mas se você quiser fazer em porções individuais também fica delícia!

Já havia mostrado o mac’n cheese clássico aqui. Nesta versão incluí o bacon, e você pode soltar a imaginação.

Me lembro que em uma viagem ao Estados Unidos vi um livro de receitas inteirinho de variações do mac’n cheese (só não me pergunte porque não comprei). SONY DSC

Mac' n cheese com bacon
SONY DSC
  • » Ingredientes:

  • 500 gramas de macarrão caracol
  • 250 gramas de bacon em cubinhos
  • azeite
  • 500 gramas de creme de leite fresco
  • 16 colheres (sopa) de parmesão ralado
  • noz moscada
  • sal

  • » Modo de Preparo:

  • Frite o bacon com um pouquinho de azeite e reserve.
  • Ascenda o forno para pré aquecer a 180 graus (forno médio)
  • Coloque água para ferver em uma panela, com um pouco de sal. Quando estiver fervendo bem coloque o macarrão.
  • Deixe o macarrão cozinhar por METADE DO TEMPO INDICADO NA EMBALAGEM (isso é super importante porque o macarrão terminará de cozinhar no forno).
  • Enquanto o macarrão cozinha coloque em uma travessa que vá ao forno o creme de leite, metade do parmesão (8 colheres), noz moscada e um pouco de sal (atenção o parmesão e o bacon já são salgados).
  • Escorra o macarrão e leve para a travessa com a mistura.
  • Incorpore bem o molho ao macarrão.
  • Jogue o bacon por cima.
  • Por último o restante do queijo (8 colheres).
  • Leve ao forno pré aquecido a 180 graus (médio) por 15 minutos.

Hummm... outras delícias: