Enfeites de natal – DIY

» Postado em Receitas de Leitores, Sem categoria / sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Hoje vou fazer um post diferente. Não vou mostrar nenhuma receita, nem contar de um restaurante ou viagem.

As festas de fim de ano estão se aproximando, e se você também adora enfeitar a casa no clima natalino vai gostar dessa idéia.

É um DIY (do it yourself – faça você mesmo) de enfeites natalinos bem rápido e charmoso.

Estes das fotos não fui eu que fiz, foi minha amiga prendada Tati, e quem conta o passo-a-passo é ela:

Materiais:
- feltros na cor que desejar (usei vermelho e branco)
- moldes desenhados em papelão ou cartolina (eu usei embalagens durinhas de biscoito)
- caneta
- tesoura
- agulha
- linhas de bordar (usei vermelha e branca)
- fibra siliconada para o enchimento
- cola de artesanato ou cola quente
- fitas e botões para decorar

natal1

1) Desenhe os contornos da meia no feltro com caneta usando o molde (lembrar que precisa fazer isso 2 vezes, para ter as 2 partes: a da frente e a de trás do enfeite). Neste caso a meia no feltro vermelho e os detalhes dela no feltro branco.
2) Recorte as imagens
3) Posicione as imagens, nesta etapa, se preferir pode usar alfinetes
4) Costurar com pontos “alinhavo” os detalhes em apenas uma parte da meia, usando a linha na cor que desejar, usei vermelha para destacar!
5) Depois de aplicados todos os detalhes, costurar com ponto “caseado” as duas partes da meia, novamente com a linha na cor que desejar, usei branca!
6) Nesta etapa é necessário deixar uma pequena abertura para colocar o enchimento de fibra siliconada, e depois disso, terminar o fechamento das duas partes
7) Colar na parte de trás da meia uma “argola” de fita para poder pendurá-la em sua árvore de Natal
8) Decorar a meia com fitas e botões usando a imaginação.

natal2

natal3

natal5

 

natal6

natal7

natal8

natal11

OBS:
- os moldes eu mesma desenhei copiando de algumas imagens que achei na internet, mas existem diversos moldes prontos que você pode encontrar por lá também
- se você não sabe fazer esses tipos de pontos, existem diversos videos no youtube ensinando (eu também não sabia!! rs…)
- com essas dicas é possível criar diversos enfeites para sua árvore de Natal

Espero que aproveitem!
Beijos

Hummm... outras delícias:


Batata doce chips de microondas

» Postado em Salgados / quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Aquela fominha do meio do dia sempre pega a gente de surpresa, e a vontade é atacar todos os junks possíveis.

Essa receita super leve além de dar uma enganada na vontadinha de fritura é quase tão prática quanto abrir um pacote de cheetos

SONY DSC

SONY DSC

SONY DSC

Chips de batata doce
SONY DSC
  • » Ingredientes:

  • 1 batata doce grande
  • ½ litro de água
  • sal e pimenta
  • páprica picante

  • » Modo de Preparo:

  • Lave a batata.
  • Sem descascar fatie-a bem fininho (eu usei um mandolim).
  • Coloque-as em uma vasilha com a água, sal e pimenta e deixa descansar por 15 minutos.
  • Retire as batatas da água e enxugue bem com a ajuda de um pano de prato limpo.
  • Coloque as batatas em um prato ou refratário que possa ir no microondas em uma única camada (dependendo do tamanho do seu microondas você precisará fazer um pouco de cada vez, já que é super importante ser um camada única).
  • Coloque no microondas na potência máxima por 1 minuto e 40 segundos.
  • Vire todas as batatas e repita o processo (mais 1 minuto e 40 segundos).
  • Por fim, acerte o sal e salpique páprica picante.

Hummm... outras delícias:


Coscouz marroquino

» Postado em Salgados / segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Eu adoro coscouz marroquino.

A melhor parte é que além de ser saboroso e leve, e muito fácil de fazer. Rende um monte e ainda você pode variar as combinações de sabores até o limite da imaginação.

Outro dia, fiz para acompanhar uns camarões de um jeito bem simples.

SONY DSC

Coscouz Marroquino
SONY DSC
  • » Ingredientes:

  • 250 gramas de coscouz marroquino
  • 250 ml de água
  • 1 pacote de ervilha fresca congelada
  • 1/2 pacote de vagem congelada
  • 1 talo de salsão
  • 1 caixinha de tomatinhos cereja
  • azeite a gosto
  • sal e ervas (usei alecrim e tomilho)

  • » Modo de Preparo:

  • Ferva a água.
  • Em uma vasilha coloque o coscouz e cubra com a água fervente.
  • Deixe descansar por 2 minutos.
  • Enquanto isso, passe rapidamente por água morna a ervilha e a vagem até amolecerem.
  • Pique o salsão em cubinhos pequenos e os tomatinhos ao meio.
  • Aqueça uma panela com um fio de azeite e refogue a ervilha, a vagem e o salsão com sal e ervas de sua preferência.
  • Na vasilha do coscouz, solte bem os grão com um garfo e misture os ingredientes do refogado, com o coscouz e os tomatinhos.
  • Regue com um pouco de azeite.
  • Acerte o tempero se necessário

Hummm... outras delícias:


Carol – cozinheiros em ação – entrevista

» Postado em Por aí... / sábado, 22 de novembro de 2014

Quem não ama um reality? _o/

E pra quem, como nós, também adora cozinhar, o programa “Cozinheiros em ação”, que acabou de encerrar a segunda temporada é, literalmente, um prato cheio.

A vencedora dessa edição, a talentosíssima (AND gata) Carol Quartim (segue ela no instagram @carolquartim) respondeu algumas perguntas para esse singelo blog!

Confere aí:

carol

P&P- Como e quando você começou a cozinhar?

“Comecei a cozinhar pequena, com onze doze anos, eu pegava livros de receitas, revistinhas e ficava testando as receitas. No inicio fazia tudo errado, estraguei muita receita e aos poucos fui pegando o jeito. Com 15 anos fui morar com meu pai, que tinha voltado da França com muitos livros e começei a cozinhar com ele coisas mais refinadas. E dai fui aprendendo, sempre muito interessada pelo tema, sempre olhando tudo que fosse de comida.”

 

P&P- Gostar de cozinhar muita gente gosta, mas ter talento é outra coisa. Quando você se descobriu talentosa na cozinha?

“Começou com a famíliia, todo mundo aprovando todas as minhas invenções, depois os amigos. Mas sempre foi mais uma paixão por cozinhar, do que reconher um talento. Mas aos poucos eu fui vendo, olha eu cozinho bem. Até que eu percebi que era a melhor coisa que eu fazia e ai resolvi que era com isso que tinha que trabalhar. E quando comecei na area o resultado foi sempre muito aprovado. Só que pra mim de toda forma foi uma surpresa a minha comida ser tão bem aceita pelos jurados.”

 

P&P- Em muitos episódios do programa você chorou nos depoimentos e se mostrou bastante emocionada. Mesmo assim, nunca errou feio em um prato, sempre se mantendo bem acima da média, ou, no mínimo na média. Porque você acha, que diferente de tantos outros candidatos, o emocional não te atrapalhou na hora de cozinhar?

“Acho que por algumas razões. Primeiro porque cozinhar pra mim é terapeutico, quando eu cozinho é o unico momento onde todos os meus pensamentos estão exclusivamente voltados pra um único propósito, que é a comida. As minhas piras, meus problemas , desaparecem, e eu só penso no que eu to cozinhando. Entao  cozinhar me ajuda a me manter sã, e não me atrapalha. E acho também que a emoção que eu coloco na comida, independente do meu estado de humor, cozinhar pra mim é sempre um prazer, e eu coloco na comida todo meu amor. ”

 

P&P- No episódio do peixe, em que você ficou com a sardinha, você disse que esse era o peixe que poderia te salvar, já que era um dos únicos que você apresentava alguma intimidade no preparo. No esporte, quando acontece algo assim, chamamos de “sorte de campeão”. Você acha que foi mais ou menos isso?

“Apesar deu ter escolhido a saridnha foi uma pequena parcela de sorte, por ninguem ter escolhido primeiro. Mas de uma maneira geral não me considero uma pessoa com “sorte de campeão”, tudo que eu conquistei até a hoje na minha vida, não foi muita coisa ainda, mas foi com ralação, dramas e dificuldades. Nada caiu  do céu.”

 

P&P- Qual a sua relação com os jurados e com o Olivier?

“Eu conheci todos durante as gravações dos programas. São todos muito bacanas, foram todos muito legais com todo mundo.”

 

P&P- Você acredita que o programa mudará os rumos da sua vida profissional? Quais são seus projetos daqui pra frente?

“Vai dar um gás com certeza, tem muita gente querendo comer minha comida, e eu to com muita vontade de cozinhar pra todo mundo.  Tô em busca de montar um negócio meu, estou montando meu site, e mais vários outros planos, que não aconteceram ainda, e dizem que se contar não acontece, rs.”

Hummm... outras delícias:


Ratatouille com macarrão

» Postado em Salgados / quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Depois dessa viagem cheia de comilanças que vocês viram nos posts anteriores, precisei seguir uma semana mais levinha.

Adoro ratatouille, tanto pelo sabor quanto pela versatilidade: você pode comer puro ou como acompanhamento, quente ou frio, ou acrescentando em um macarrão, como eu fiz nesse caso.

As quantidades que eu coloco na receita dos ingredientes do ratatouille (para duas pessoas) caem certinho na quantidade de macarrão. Mas se você quiser pode fazer, como eu fiz, o dobro da receita e guardar o ratatouille para comer de outras maneiras (lembra da versatilidade?).

Achei que deu bem certo!

SONY DSC

SONY DSC

Ratatouille com macarrão
SONY DSC
  • » Ingredientes:

  • 1 berinjela
  • 1 abobrinha
  • ½ pimentão vermelho
  • ½ pimentão amarelo
  • 1 colher (chá) de sal
  • ½ cebola em cubinhos
  • 1 dente de alho amassado
  • 3 tomates maduros sem pele e sem semente em cubos
  • ½ xícara de azeite
  • 150 gramas de macarrão integral (usei fusili ou parafuso)
  • 250 gramas de queijo cottage
  • sal e ervas a gosto para temperar o cottage (usei alecrim e tomilho)

  • » Modo de Preparo:

  • Fatia as abobrinhas e berinjelas bem fino (usei um mandolim).
  • Coloque as fatias em uma tigela, jogue a colher de chá de sal por cima, misture bem e deixe descansar por 30 minutos.
  • Enquanto isso tire as sementes e partes brancas dos pimentões e corte-os em tirinhas finas.
  • Após o descanso, escorra a água que formar na berinjela e abobrinha e seque bem cada fatia.
  • Pré aqueça o forno a 200 graus.
  • Aqueça uma frigideira bem quente, com um fio de azeite, e grelhe as fatias de abobrinha e berinjela (não coloque muitas por vez, faça sempre, uma única camada). Reserve.
  • Na mesma frigideira, refogue rapidamente o alho e a cebola, e acrescente os tomates. Cozinhe em fogo baixo até que o tomate comece a desmanchar.
  • Em um refratário que possa ir ao forno, espalhe o tomate no fundo e coloque bem misturado as berinjelas, abobrinhas e pimentões. Regue com o azeite e leve ao forno a 200 graus por 20 minutos.
  • Enquanto isso, coloque água para ferver e cozinhe o macarrão conforme as instruções da embalagem.
  • Enquanto o macarrão cozinha tempere bem o cottage com sal e ervas (não economize no tempero, pois o cottage é bem leve).
  • Escorra o macarrão e na mesma panela que usou para cozinhá-lo coloque o cottage e leve no fogo médio. Quando ele começar a borbulhar misture o ratatouille e por último o macarrão.

Hummm... outras delícias:


Restaurantes na viagem

» Postado em Por aí... / terça-feira, 18 de novembro de 2014

Este post é um daqueles que é bom você reler quando estiver pensando em ir para algum desses lugares.

Indico aqui pra vocês os restaurantes que mais gostei na viagem:

#NICE:

* Chez Juliette:

Não sei se é porque foi o primeiro bistrô bem francesinho da viagem, mas adoramos este restaurante. No coração do centrinho histórico de Nice, tinha um atendimento bem familiar e todos os pratos estavam deliciosos.

A entrada que escolhemos era uma trouxinha de massa folhada recheada de queijo brie memorável!

a decoração tinha toda antiguinha

a decoração era toda antiguinha

essa entrada de brie era tudo de bom

essa entrada de brie era tudo de bom

1 Rue Rossetti, 06300 Nice, França +33 4 93 92 68 47

#Alba:

* Osteria dell’Arco:

Na terra da trufa, este restaurante é imperdível.

Ambiente delicioso e comida nem se fala, carta de vinhos que deixou o maridão de queixo caído.

nhoque com trufa negra

nhoque com trufa negra

massa com trufa branca...

massa com trufa branca…

... e um belo barolo

… e um belo barolo

Piazza Navona, 5 Alba  tel 0173 363974 info@osteriadellarco.it

#Turin

*Manzò

Este lugar na verdade é um açougue, super charmoso e moderninho.

No andar de cima, eles tem um salão que é uma graça.

Funciona assim: você escolhe a carne que vai comer (o peso é por Kg) e sobe enquanto eles preparam. Além de linguiças deliciosas, comemos uma bisteca fiorentina pra carnívoro nenhum botar defeito!

este painel explicava o serviço de açougue...

este painel explicava o serviço de açougue…

...este explicava o serviço de restaurante...

…este explicava o serviço de restaurante…

... e este os cortes de carne

… e este os cortes de carne

tábua de queijos delícia

tábua de queijos delícia

a estrela da nite: bisseta fiorentina sobre uma placa de sal

a estrela da noite: bisseta fiorentina sobre uma placa de sal

estamos na Itália, né? então... panacota INCRÍVEL

estamos na Itália, né? então… panacota INCRÍVEL

Via Antonio Gramsci 1 Turim +39 011 020 8230

#Colmar

*L’Auberge, brasserie

No hotel que ficamos hospedados em Colmar tinham dois restaurantes muito bem cotados.

Um deles, era menu degustação, mais caro, então não provamos.

O outro, era a la carte normal. Provamos e aprovamos. Era uma mistura da cozinha alsaciana (praticamente comida alemã) com cozinha francesa.

este peixe parecia uma truta, muito bom!

este peixe parecia uma truta, muito bom!

7 Place de la Gare, 68000 Colmar, França +33 3 89 23 17 57

#Paris

*La Maison du Jardin:

Achei que ia embora de Paris sem ter nenhum restaurante para indicar, mas no último jantar da viagem isso mudou!

É um restaurante de menu fixo, poucas opções de entrada, prato principal e sobremesa para escolher no dia.

O prato principal que nós escolhemos, me da saudade só de pensar. Era um pato cozido bem lentamente (cerca de 7 horas de forno), que vinha para a mesa desmanchando dento de uma massa folhada fininha e crocante acompanhada de figo assado no vinho (babei!).

to chorando só de lembrar desse pato

to chorando só de lembrar desse pato

IMG_4099

 27 Rue de Vaugirard, 75006 Paris, França +33 1 45 48 22 31

Hummm... outras delícias:


Roteiro de férias – França, Itália e um jantar na Suíça

» Postado em Por aí... / sábado, 15 de novembro de 2014

Quem me segue no insta (@panelasepaetes), sabe que andei de férias.

Eu e meu marido sempre pensamos em comida e vinhos quando estamos pensando o roteiro das nossas viagens.

Em outras viagens não fiz um post somente sobre o roteiro, apenas dei as dicas do que achei de mais bacana na viagem (Napa Valley, Mendoza, Toscana, Colômbia).

Mas, dessa vez, bastante gente me mandou mensagens pelo insta perguntando sobre o roteiro… e como ele é um pouco diferente mas BEM bacana, achei que valia a pena contar aqui. Captura de Tela 2014-11-15 às 12.00.24

Este mapa mostra as cidades que nos hospedamos… mas algumas delas, serviram de base pra visitarmos cidades menores nas redondezas.

Sempre prefiro fazer isso do que ficar pingando e dormindo uma noite em cada lugar, porque acho muito cansativa a rotina de “faz mala – faz check out – procura hotel – faz check in”

* Cote d’azur

SOBRE: A costa Azul, também conhecida como Riviera Francesa é bem famosa pelas praias e os badalos de celebridades e gente rica. Compreende Nice, Cannes, Saint-Tropez, Saint Raphael e Montecarlo

O QUE EU ACHEI: A Riviera Francesa, por motivos óbvios, bomba no verão. Fui no outono, o que resultou em eu não encontrar aquele badalo característico do local. Então o que eu vi foram cidadezinhas lindas, super bem organizadas, com praias que realmente justificavam o nome azul da costa.

Nice e Cannes tem características bem parecidas: uma orla glamurosa (um pouco mais em Cannes), e um centrinho histórico animado (um pouco mais em Nice). Apesar de não estar calor tinha sol, então tinham gringos tomando banho de mar, mas nós não tivemos a mesma coragem.

As praias, em geral, tem pedras no lugar de areia, o que dá um visual bem bonito e diferente do que estamos acostumados.

Nice <3

Nice <3

Já Montecarlo (que fica no principado de Mônaco), é bem diferente das duas, a não ser pelo mesmo mar azul. Lá, você fica cercado de castelos, palácios e cassinos que te fazem lembrar a todo momento que você está em um principado. Achei que valeu a visita.

me sentindo princesa (#sqn) em Montecarlo

me sentindo princesa (#sqn) em Montecarlo

* Piemonte

SOBRE: Ao norte da Itália, fazendo divisa com a França fica a região do Piemonte. Além de ser a região mais desenvolvida da Itália é a região dos famosos e premiados vinhos Barolo e das cobiçadas trufas brancas.

O QUE EU ACHEI: Com certeza esta foi a parte mais enogastronomica da viagem. Primeiro ficamos em Alba, que é a terra da trufa branca (e estávamos em época do festival das trufas), então, pra quem como eu, adora essa iguaria, era só alegria! trufa branca no almoço e no jantar.

Praticamente colado em Alba fica a cidade de Barolo, que mais parece um vilarejo de tão pequenininha e charmosa. Visitamos vinícolas de produção maior e também uma vinícola familiar, com vinhos deliciosos.

quem conhece meu marido imagina a alegria dele nesse lugar!

quem conhece meu marido imagina a alegria dele nesse lugar!

trufas brancas

trufas brancas

trufas e mais trufas <3

trufas e mais trufas <3

Nossa última parada em Piemonte foi  Turim, capital da região. Achei que poderia ter ficado mais dias em Turin do que eu fiquei… pra aproveitar melhor o que essa grande cidade tem a oferecer. Além de museus bacanas e uma preservação incrível do centro antigo encontramos por lá restaurantes deliciosos e animados, mais com cara de cidade maior mesmo.

* Suíça só por um founde

Aqui não vou fazer uma explanação sobre a Suíça, certo?

Já conhecíamos algumas cidades do país, onde comemos o melhor founde de queijo da vida…. Já que estávamos tão perto, resolvemos dormir por lá uma noite para repetir a dose. Escolhemos uma cidade que ainda não conhecíamos, e nos jogamos no founde. Que delícia!

valeu cada km a mais

valeu cada km a mais

Além disso, a cidade, que era Fribourg era incrível.

* Alsacia – Lorena

SOBRE: Ao leste da França fica essa região de povo germânico. Lembrava vagamente de batalhas de Alsacia das aulas de história, mas revendo um pouquinho você verá que essa região foi tomada pela Alemanha e devolvida para a França algumas vezes.

Além disso é uma região produtora de vinhos brancos bem tradicional da França.

O QUE EU ACHEI: Sem dúvida, esta foi a região que mais me surpreendeu positivamente na viagem. Pelo que percebemos, não se trata de um destino muito comum entre brasileiros que fazem turismo na França, mas deveria ser, porque realmente é muito legal!

Primeiro porque a gente se sente um pouquinho na Alemanha (graças a seu povo Germânico – chucrute e salsichão por toda parte), segundo porque tem cervejas incríveis e vinhos brancos deliciosos, e terceiro porque são milhares de cidadezinhas minúsculas, uma colada na outra, tão bem preservada que você se sente na idade média.

Fiquei hospedada em Colmar que é a capital dos vinhos da Alsácia, e visitamos Ribeauvilvle, Eguisheim, Riquemihr e Strasbourg. Tirando Strasbourg (que é a verdadeira capital da região), todas são cidades minúsculas, medievais e charmosíssimas. IMG_3370

Em Estrasburgo visitei a catedral gótica mais linda que já vi na minha vida (sim, mais bonita que a Notre Dame de Paris e que o Duomo de Milão), algo chocante!

a chocante catedral de Strasbourg

a chocante catedral de Strasbourg

*Champagne

SOBRE: A região da França onde os espumantes mais famosos do mundo são produzidos.

O champanhe é produzido nesta região cuja capital é Epernay. Foi lá que o monge Dom Pergignon se esforçou muito para domar os vinhos que fermentavam novamente nas garrafas, fazendo-as explodir.

O QUE EU ACHEI: Achei incrível! Quem já fez algumas viagens de vinhos, como eu, sabe que as visitas são todas meio iguais, tanto que a certa altura a gente quer ir as vinícolas apenas para degustar e comprar os vinhos, e não para fazer o tour. Mas, eu te garanto, mesmo que você já tenha feito muitas visitas a vinícolas, faça o tour nas cavas de champagne. Vale muito a pena. A gente descobre que existe um mundo subterrâneo, onde ficam as bebidas, a uma baixa temperatura natural (vá agasalhado), é incrível. Visitei a pommery e a veuve clicquot e realmente recomendo! IMG_3517

* Paris

SOBRE: dispensa, né?

O QUE EU ACHEI: O cenário perfeito para terminar essa viagem incrível!

clássicos são clássicos <3

clássicos são clássicos <3

 

Gostaria de dar um depoimento, que não é propaganda, sobre a agência de viagens que venho utilizando desde que vim morar em Sorocaba.

Sempre preferi fazer viagens sem agência, porque achava que elas acabavam dando uma engessada no roteiro. Quando conheci o pessoal da Home Travel, descobri uma agência super flexível.

Continuamos pesquisando e criando nosso roteiro com a nossa cara, mas conseguimos contar com a assistência e a segurança deste pessoal super profissional e com serviços bem diferenciados. Fica a dica!

 

Hummm... outras delícias:


Dica de livro – o cinema vai à mesa

» Postado em Por aí... / quinta-feira, 06 de novembro de 2014

Sabe quando  a gente assiste a um filme e fica morrendo de vontade de entrar na t.v. (ou na tela do cinema) para comer as delícias que aparecem?

Pois é, tenho um livro de receitas, muito bom, que ganhei da minha mãe e do meu irmão que une as duas artes (cinema e culinária).

Ele seleciona filmes clássicos com boas receitas e traz uma sinopse sobre o filme e as receitas a seguir.

Vale super a pena.

Livro: “O cinema vai à mesa”

e a capa ainda é linda :)

e a capa ainda é linda :)

escolhi essa página porque adoro esse filme <3

escolhi essa página porque adoro esse filme <3

SONY DSC

Hummm... outras delícias:


Caponata de Berinjela

» Postado em Salgados / terça-feira, 04 de novembro de 2014

Poucas receitas são tão versáteis quanto a caponata.

Você pode comer quente ou fria. Acompanhando torrada como se fosse um patê, ou no prato como se fosse uma salada. É possível colocar ou tirar ingredientes de acordo com disponibilidade ou preferências sem prejudicar o resultado.

Além de tudo isso, é muito fácil de fazer e deixa um cheirinho delicioso na cozinha. caponata de berninjela

Caponata de Berinjela
caponata de berninjela
  • » Ingredientes:

  • 1 berinjela
  • 1/2 pimentão amarelo
  • 1/2 pimentão vermelho
  • 100 gramas de azeitonas verdes sem caroço
  • 1 colher (sopa) de uvas passas
  • 1 colher (sopa) de castanhas variadas (eu usei nozes, amêndoas, castanha do pará e castanho de cajú)
  • 150 ml de azeite virgem
  • sal a gosto.

  • » Modo de Preparo:

  • Pique a berinjela e os pimentões em cubos.
  • Fatie as azeitonas sem caroço.
  • Pique grosseiramente as castanhas.
  • Misture bem todos os ingredientes e regue com todo o azeite.
  • Leve ao forno baixo (160 graus) coberto com papel alumínio por cerca de 40 minutos. Depois, tire o papel alumínio e deixe no forno por mais cerca de 50 minutos, mexendo de vez em quando.

Hummm... outras delícias:


Bolo de cenoura com cobertura de chocolate

» Postado em Doces / domingo, 02 de novembro de 2014

Nada mais clássico que este bolo, não é?

Mesmo assim, para mim, ele não tem sabor de infância. Tem sabor de juventude!

Quem fazia, na minha vida, a melhor receito deste bolo (que é a que reproduzo aqui), era minha colega de apartamento na faculdade.

Sabe o que é você chegar de uma festa de faculdade, desesperada por alguma coisa doce e ter esse bolo em casa te esperando?!? <3 <3 <3

A cobertura é daquela que endurece e fica meio açucarada, o bolo em si fica bem maciozinho e perfumado.

você pode jogar a cobertura e deixar assim mais rústico ou cobrir certinho... Mas tem que ser rápido, pois ela endurece quando esfria

você pode jogar a cobertura e deixar assim mais rústico ou cobrir certinho… Mas tem que ser rápido, pois ela endurece quando esfria

Bolo de cenoura com cobertura de chocolate
  • » Ingredientes:

  • BOLO:
  • 3 cenouras cruas raladas
  • 4 ovos
  • 1 xícara (chá) de óleo
  • 3 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 2 xícaras (chá) de açúcar
  • 1 colher (sopa) de fermento
  • COBERTURA:
  • 3 colheres (sopa) de chocolate em pó
  • 3 colheres (sopa) de manteiga
  • 1 xícara (chá) de açúcar
  • 2 colheres (sopa) de água

  • » Modo de Preparo:

  • Unte e enfarinhe uma forma.
  • Ligue o forno para pré-aquecer a 180 graus (médio).
  • Bata no liquidificador as cenouras, os ovos e o óleo.
  • Em uma tigela misture a farinha e o açúcar.
  • Despeje o creme que foi batido no liquidificador na tigela da farinha e açúcar e misture bem.
  • Adicione o fermento.
  • Coloque na forma untada e leve ao forno pré-aquecido (180 graus - médio) para assar por cerca de 50 minutos (ou até que o palito saia seco)
  • Para a cobertura, leve todos ingredientes ao fogo em uma panela até derreter e engrossar (+ ou - 6 minutos).
  • Despeje no bolo ainda quente.

Hummm... outras delícias: