Tortilla de batata com calabresa

» Postado em Salgados / sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Quem nunca comeu uma tortilla e pensou “ah! é só um omeletão” ?

Mas vai você tentar fazer um omelete e deixar igual a uma tortilla… não fica! simplesmente pelo fato que a tortilla tem uma base de batatas.

No começo do ano, fui pra Argentina e trouxe o livro de receitas da Doña Petrona, que é tipo uma Ofélia dos hermanos. Lá, ela explica a importância da batata ser fatiada bem fininha, pois vai cozinhar só na frigideira e não pode ficar crua e dura.

Acrescentei a calabresa, mas você pode acrescentar mil outras coisas como aspargos ou presunto.

Deu super certo! Funciona bem como uma entrada de sustância ou como uma refeição leve, com uma saladinha para acompanhar.

Para virar a tortilla eu usei um prato: retirei e voltei para a frigideira. Se você tiver duas frigideiras do mesmo tamanho fica ainda mais fácil, coloque um pouco de azeite e aqueça a frigideira vazia e vire direto de uma para a outra.

depois de virar...

depois de virar…

IMG_5230

Tortilla de Batata e Calabreza
depois de virar...
  • » Ingredientes:

  • 5 batatas pequenas ou 6 médias
  • 1 calabresa defumada
  • 7 ovos
  • sal, pimenta e noz moscada a gosto
  • azeite virgem

  • » Modo de Preparo:

  • Descasque as batatas e fatie bem fininho (eu usei um mandolim).
  • Retire aquela casca da calabresa e pique em cubinhos.
  • Aqueça o azeite em uma frigideira anti-aderente, disponha as fatias de batata, tempere com sal e mantenha em fogo médio, mexendo de vez em quando até as batas ficarem macias (cerca de 4 minutos).
  • Disponha os cubinhos de calabresa sobre as batatas, e mantenha por mais alguns minutos em fogo médio.
  • Em uma tigela bata os ovos com sal, pimenta e noz moscada.
  • Despeje os ovos batidos na frigideira, e aguarde até perceber que as laterais estão ficando douradas (sempre em fogo médio).
  • Vire para dourar do outro lado.

Hummm... outras delícias:


Bolo Peteleco

» Postado em Doces / quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Quando eu era criança e minha mãe perguntava que bolo eu queria, minha resposta de cara era “de chocolate com cobertura de chocolate!”.

Aí a gente cresce e passa a apreciar sabores mais complexos, menos doces. Mas quando eu como um belo “bolo de chocolate com cobertura de chocolate” tenho exatamente aquela mesma sensação que aquela criança pedia sem titubear.

Mexendo nos caderninhos da minha avó encontrei esta receita com nome de “bolo peteleco”, eu realmente não sei porque ele tem esse nome, mas quando sai do forno, o cheirinho adocicado me dá um abraço bem gostoso.

É bem o bolo de chocolate que minha avó fazia mesmo. Uma das coisas mais maravilhosas da cozinha é poder atravessar o tempo e repetir um sentimento ou se conectar com alguém que não está mais aqui.

foto 2-11

Bolo Peteleco
foto 2-11
  • » Ingredientes:

  • PARA O BOLO:
  • 3 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 2 xícaras (chá) de açúcar
  • 1 xícara (chá) de chocolate em pó
  • 2 ovos
  • 1 xícara (chá) de óleo
  • 1 pitada de sal
  • 2 colheres (chá) de fermento
  • 2 xícaras (chá) de água bem quente com 2 colheres (chá) de bicarbonato diluído
  • PARA A COBERTURA:
  • 200 gramas de chocolate meio-amargo picado
  • 1 litro de creme de leite

  • » Modo de Preparo:

  • Comece pelo bolo.
  • Pré aqueça o forno a 180 graus.
  • Unte uma forma com manteiga e farinha ou cacau em pó.
  • Em uma tigela misture bem a farinha, o açúcar e o chocolate em pó.
  • Coloque os ovos, o óleo, o sal e a água, misture bem.
  • Por último coloque o fermento e termine de bater.
  • Coloque a mistura na forma untada e leve ao forno (pré aquecido, 180 graus) por cerca de 40 minutos.
  • Para a cobertura derreta o chocolate em banho-maria e acrescente o creme de leite.
  • Despeje sobre o bolo ainda quente.

Hummm... outras delícias:


“Puertas Cerradas”, a melhor dica de Mendoza!

» Postado em Por aí... / segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Quando estava publicando as dicas sobre a viagem que eu fiz para Mendoza em maio, tive aquele problema do blog ficar um tempo fora do ar (alguém notou? rs). Agora, revendo estes posts, descobri que acabei não dando a MELHOR dica que eu tinha para dar dessa trip.

Descobrimos, assim que chegamos na Argentina, que por lá está rolando uma tendência de restaurantes de “puertas cerradas”. Se trata de moradores locais que abrem suas casas para fazer um jantar para poucas pessoas. Este tipo de restaurante, por motivos óbvios, só funciona com reservas, aceita poucas pessoas por noite e tem cardápio fechado.

Tive a oportunidade de visitar dois, a experiência foi maravilhosa e eu super recomendo ambos.

*LodeFer:

Foi o primeiro “puertas cerradas” da viagem. Em um bairro completamente residencial você fica bem em dúvida na hora que chega se está ou não no lugar certo. Mas logo que toca a campainha e vem a anfitriã mega simpática e falante, te recebendo na casa dela, qualquer dúvida acaba!

Na noite que fomos estávamos eu e meu marido, e tinha outra mesa com um casal de argentinos que vinha de Córdoba. Durante toda a noite nossa anfitriã se esforçou para nos entrosar com o outro casal, e deu tão certo que no fim da noite nem pegamos taxi, fomos embora de carona com eles, como bons amigos! :)

A comida, feita pelo chefe Fernando (marido de Gladys, a anfitriã) estava divina e absolutamente bem servida.

petiscos deliciosos

petiscos deliciosos

esta entrada era realmente especial, saladinha e queijo a milanesa

esta entrada era realmente especial, saladinha, queijo a milanesa e batata rosti

o prato principal era a CARBONADA que é um prato típico argentino que eu não conhecia

o prato principal era a CARBONADA que é um prato típico argentino que eu não conhecia

esta sobremesa da água na boca só de lembrar...

esta sobremesa da água na boca só de lembrar…

 

*Ituzaingo:

Quando pedimos para a concierge do hotel fazer uma reserva neste restaurante, ela nos informou que em algumas ocasiões eles aceitavam que as pessoas fossem mais cedo, e davam uma aula de culinária, antes do jantar. Meus olhos brilharam, e depois de bastante insistência conseguimos marcar a aula e o jantar (atenção, se você for pra lá e pretender fazer isso – QUE VALE MUUUITO A PENA – já reserve daqui do Brasil)

Quando você chega, a rua (que tem o mesmo nome do restaurante) e a fachada da casa são um tanto quanto sinistras, o que só da mais charme ao local.

Gonzalo, nosso anfitrião, parece um amigo, feliz que você está na casa dele. Nosso horário era 18h00, já que cozinharíamos antes de jantar.

Antes mesmo de sermos apresentados ao chef Santi, nosso professor, já recebemos uma bela taça de vinho.

Aprendemos sobre a parilla, os cortes de carne, fizemos pão, fizemos empanadas (e tomaaaaando vinho!).

Depois eles nos sentaram a frente da lareira com vinho e queijos. A melhor provoleta que ja comi na vida.

Ainda por cima jantamos, e tivemos uma sobremesa maravilhosa!

Foram cerca de 4 horas no local, 3 garrafas de vinho e uma experiência INESQUECÍVEL.

euzinha, pronta para por a mão na massa, e de dente roxo <3

euzinha, pronta para por a mão na massa, e de dente roxo <3

nosso projeto de pão indo para o forno

nosso projeto de pão indo para o forno

nossos pãezinhos acompanhando a melhor provoleta da vida

nossos pãezinhos acompanhando a melhor provoleta da vida

Veja que algumas das minhas empanadas queimaram, mas garanto a vocês,  o segredo está no recheio - e ficou demais!

Veja que algumas das minhas empanadas queimaram, mas garanto a vocês, o segredo está no recheio – e ficou demais!

o charme da lareira de Gonzalo, nosso anfitrião

o charme da lareira de Gonzalo, nosso anfitrião

A maravilhosa sobremesa feita pelo nosso professor, o chef Santi

A maravilhosa sobremesa feita pelo nosso professor, o chef Santi

e no final, um brinde, a esse maravilhoso jantar!

e no final, um brinde, a esse maravilhoso jantar!

 

Hummm... outras delícias:


Dia do macarrão – mac’n cheese com bacon

» Postado em Salgados / sábado, 25 de outubro de 2014

Hoje, dia 25 de outubro, comemora-se o dia internacional do macarrão.

Resolvi trazer uma receitinha bem fácil, e rápida.

O mac’n cheese, mais comido nos states do que aqui é considerado a comida internacional da fossa. Mas, na verdade, a gente não precisa estar deprê pra comer um carboidratozinho desse que nos dá um abraço de tão confortante.

Como você vê na foto eu fiz em uma tigela só, mas se você quiser fazer em porções individuais também fica delícia!

Já havia mostrado o mac’n cheese clássico aqui. Nesta versão incluí o bacon, e você pode soltar a imaginação.

Me lembro que em uma viagem ao Estados Unidos vi um livro de receitas inteirinho de variações do mac’n cheese (só não me pergunte porque não comprei). SONY DSC

Mac' n cheese com bacon
SONY DSC
  • » Ingredientes:

  • 500 gramas de macarrão caracol
  • 250 gramas de bacon em cubinhos
  • azeite
  • 500 gramas de creme de leite fresco
  • 16 colheres (sopa) de parmesão ralado
  • noz moscada
  • sal

  • » Modo de Preparo:

  • Frite o bacon com um pouquinho de azeite e reserve.
  • Ascenda o forno para pré aquecer a 180 graus (forno médio)
  • Coloque água para ferver em uma panela, com um pouco de sal. Quando estiver fervendo bem coloque o macarrão.
  • Deixe o macarrão cozinhar por METADE DO TEMPO INDICADO NA EMBALAGEM (isso é super importante porque o macarrão terminará de cozinhar no forno).
  • Enquanto o macarrão cozinha coloque em uma travessa que vá ao forno o creme de leite, metade do parmesão (8 colheres), noz moscada e um pouco de sal (atenção o parmesão e o bacon já são salgados).
  • Escorra o macarrão e leve para a travessa com a mistura.
  • Incorpore bem o molho ao macarrão.
  • Jogue o bacon por cima.
  • Por último o restante do queijo (8 colheres).
  • Leve ao forno pré aquecido a 180 graus (médio) por 15 minutos.

Hummm... outras delícias:


Ler e cozinhar – dica de livro: “Quem colocou o filé no Wellington?”

» Postado em Por aí... / quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Ninguém precisa mais de livro de receitas… qualquer receita que você queira ou precise tem milhares de versões na internet.

É, precisar não precisa, mas tem coisa mais legal que livro de receitas?!? EU ADORO!

Quando entro em uma livraria tenho vontade de levar toooooodos.

Na minha cozinha, tenho uma prateleira com os livros, pra ficar bem a mão.

Uma coisa que eu adoro nesses livros é o que está além da receita.

Ganhei de uma prima no meu aniversário o livro “Quem colocou o filé no Wellington?” e realmente quero recomendar.

Ele traz clássicos do mundo todo, contando a história de como e onde aquele prato foi criado. Um livro que traz histórias tão interessantes que vale a pena até pra quem não pretende executar as receitas.

foto-13

Hummm... outras delícias:


“Risotto” de quinoa vermelha com alho-poró e aspargos

» Postado em Salgados / terça-feira, 21 de outubro de 2014

A palavra Risotto vem de riso, que é arroz em italiano, por isso se não tem arroz não pode ser risotto.

Mas, as vezes no meio da semana é bom comer algo com essa consistência de carboidrato, mas um pouco mais magro que o risotto verdadeiro.

Outra vantagem da quinoa pros dias corridos é que pra este falso risotto não é necessário ficar mexendo o tempo todo em cima da panela, pois não tem o amido pra soltar.

foto 1-9

foto 1-9
  • » Ingredientes:

  • 1 xícara de quinoa vermelha
  • 1 litro de caldo de legumes
  • 1 colher (sopa) de manteiga
  • ½ alho poró
  • 8 aspargos verdes
  • raspas de 1 limão siciliano
  • 1 xícara (chá) de parmesão ralado
  • sal a gosto (se necessário)

  • » Modo de Preparo:

  • Corte a parte comestível (parte branco) do ½ alho-poró em cubos bem pequenos (ou bata no mini processador).
  • Para cozinhar os aspargos coloque em uma panela com água fervente com sal por cerca de 2 minutos e em seguida coloque em água fria para parar o cozimento e deixar os aspargos crocantes.
  • Separe quatro inteiros para enfeitar no final e pique os aspargos restantes.
  • Coloque o caldo de legumes para esquentar.
  • Em uma panela derreta a manteiga e refogue o alho poró, coloque a quinoa e refogue por mais 1 minuto.
  • Acrescente todo o caldo (pode ser todo de uma só vez), assim que ferver abaixe o fogo e deixe semi tampado.
  • Vá mexendo de vez em quando.
  • Quando a panela já estiver quase sem caldo acrescente os aspargos picados e as raspas de limão e misture bem.
  • Por último, acrescente o parmesão quando já não houver caldo na panela. Misture bem.

Hummm... outras delícias:


Salsa criolla

» Postado em Salgados / domingo, 19 de outubro de 2014

No dia que aprendi a fazer as empanadas também me ensinaram um molinho que combina super bem com elas.

É um pouco parecido com nosso vinagrete, mas no lugar de tomate leva pimentão.

O pimentão verde é o mais atrevido de todos, mas se você usá-lo dá uma sabor ao molhinho parecido ao do chimichurri.

SONY DSC

Salsa Criolla
SONY DSC
  • » Ingredientes:

  • ½ pimentão verde
  • ½ pimentão vermelho
  • ½ pimentão amarelo
  • ½ cebola roxa
  • ½ xícara de vinagre
  • 1 xícara de azeite
  • sal, pimenta e limão a gosto

  • » Modo de Preparo:

  • Pique os pimentões e a cebola em cubinhos, o mais miúdo que você for capaz.
  • Misture bem todos os ingredientes e tempere

Hummm... outras delícias:


Empanadas – primeiro vídeo do blog

» Postado em Salgados / sexta-feira, 17 de outubro de 2014

SONY DSC Este fim de semana resolvi fazer as empanadas que eu aprendi em Mendoza.

Esta foi a segunda vez que fiz os famosos “pasteizinhos” argentinos, mas dessa vez eles deram mais certo que a primeira.

Então, aprenda com meus erros:

–> Na primeira vez, comprei massa de pastel para fritar… mesmo depois de bem assado, continuou um sabor de massa crua. O correto é comprar a massa de pastel que vem escrito “assar ou fritar”, assim dá bem mais certo

Nãããooo! eu não fiz a massa :/

Nãããooo! eu não fiz a massa :/

–> É super importante que o recheio fique bem molhadinho. Quando aprendi na Argentina o recheio era feito com banha vegetal, aí fui fazer em casa e refoguei a carne moída com a quantidade de óleo que uso no dia a dia (bem pouco), e ficou seco. Dessa vez, capricheeeeei no óleo (#vaiGordinha), e o recheio ficou bem molhadinho.

Algumas outras dicas aprendi na aula que tive na viagem:

1) usar o recheio frio

2) deixar o forno bem quente

3) como fazer o efeito “torcidinho” na massa

Este item 3 achei impossível de explicar escrevendo, então gravei um videozinho pra vocês aprenderem.

Assim, estreio o canal do blog no youtube :)

Assistam lá, comentem, critiquem, me dêem idéias… e se quiserem dar uma forcinha se inscrevam no canal, e cliquem no jóinha!

https://www.youtube.com/watch?v=wLN81Y41Y0w 

Empanadas
SONY DSC
  • » Ingredientes:

  • 1 pacote de massa para pastel para FRITAR OU ASSAR
  • 500 gramas de carne moída
  • 3 colheres (sopa) de páprica doce
  • ½ xícara de óleo
  • 1 cebola
  • 150 gramas de azeitonas sem caroço
  • 2 ovos
  • sal e pimenta
  • 1 gema

  • » Modo de Preparo:

  • Para fazer o recheio:
  • Pique a cebola em cubinhos bem pequenos.
  • Fatie as azeitonas (sem caroço).
  • Cozinhe os ovos e pique-os.
  • Aqueça o óleo em uma panela, e frite as cebolas até ficarem transparentes.
  • Acrescente a carne moída e refogue.
  • Adicione a páprica e misture bem.
  • Tempere com sal e pimenta a gosto.
  • Acrescente a azeitona e os ovos cozidos.
  • Deixe o recheio esfriar.
  • Quando for começar a rechear as massinhas, ascenda o forno para pré-aquecer a 220 graus (forno alto).
  • Coloque cada massinha na palma da mão, ponha um pouco do recheio no centro, umedeça as bordas, feche bem e vá torcendo a pontinha.
  • Pincele com uma gema levemente batida sobre cada empanada, e leve para o forno alto pré aquecido por cerca 10 minutos (ou até ficarem douradas)

Hummm... outras delícias:


Crispy de alho poró – para incrementar o x-salada

» Postado em Salgados / quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Eu adoro um hambúrguer!

E quando a gente faz em casa sempre tenta dar um tchan com algum ingrediente especial…

Este crispy de alho poró é uma delícia, dá crocância e sabor no lanche e é muito rápido de fazer.

o alho poró cortado fininho

o alho poró cortado fininho

Já pronto, em cima so hambúrguer

Já pronto, em cima so hambúrguer

foto 3-6

Completando o lanche temos:

- pão de hambúrguer que eu mantenho no congelador e descongelo rapidinho no grill

- maionese

- alface frizé

- tomate confit (mas renderam esses tomates, né?)

- hambúrguer de costela (compro esses hambúrgueres prontos no oba, mas você pode fazer os seus)

- queijo masdam que eu tinha na geladeira

crispy de alho poró
Já pronto, em cima so hambúrguer
  • » Ingredientes:

  • 1 alho poró
  • 2 colheres (chá) de manteiga
  • 1 pitada de açúcar
  • 1 ½ colher (chá) de molho inglês

  • » Modo de Preparo:

  • Lave bem o alho-poró e separe apenas a parte branca da ponta.
  • Fatie bem fininho (eu usei um mandolim)
  • Derreta a manteiga em uma frigideira em fogo alto.
  • Acrescente o alho poró e deixe fritar por 2-3 minutos.
  • Abaixe o fogo para médio, adicione o açúcar e deixe por mais 1 minuto.
  • Por último, acrescente o molho inglês e misture bem por mais 1 minuto.

Hummm... outras delícias:


Rolinho de muçarela de búfala – entrada prática

» Postado em Por aí..., Salgados / segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Esta na verdade não é uma receita, mas sim uma dica.

Achei para comprar uma manta de múçarela de búfala (aqui em Sorocaba comprei no oba), e achei uma opção legal de dar um charme diferente na hora de servir queijos para as visitas.

O esquema é simples, você coloca o que quiser em cima da manta de muçarela e enrola como um rocambole.

Eu usei presunto parma e tomates confit, mas posso pensar em mil outras opções.

foto 3-7

foto 2-10

foto 1-8

Hummm... outras delícias: